Réveillon: o que o empreendedor digital deve esperar desta data

Postado em 12/26/2022 09:50:57 - Por Thiago Monteiro

Mas se engana quem pensa que a perspectiva positiva está contida apenas nas festas natalinas. Para 2022 o Réveillon também vai aquecer o comércio e a economia nacional, e segundo as projeções, o ano se encerrará, literalmente, com chave de ouro.

De acordo com as projeções da Associação Brasileira do Varejo (ABV), a estimativa é que o Réveillon de 2022 registre um aumento de 12% nas vendas em relação ao ano passado. Parte deste cenário está relacionado à flexibilização e redução dos impactos negativos relacionados à pandemia, como também ao momento econômico, já que grande parte da população decidiu investir seus rendimentos e como dito acima, 13º salário em compras de presentes, artigos para festas e até mesmo no turismo.

Em todo o país, aproximadamente 85,5 milhões de brasileiros recebem o 13º salário em 2022, destes, 52,3 milhões são trabalhadores com carteira assinada e 33,1 milhões de aposentados e pensionistas. Segundo estimativas do Dieese o pagamento médio é de R$ 2.672.

Para melhor mensuração do impacto que a injeção de capital trará para a econômica neste fim de ano, os R$ 250 Bilhões estimados pela Dieese, representam 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2022, e todo esse valor será injetado no mercado dentro de um prazo aproximado de duas semanas, já que como apresentado em artigos anteriores, os Brasileiros que não aproveitaram a Black Friday, deixarão suas compras para a última hora.

E-commerce pode faturar com as viagens de fim de ano

As principais tendências de gastos para o Réveillon de 2022 estão concentradas no setor de turismo, já que da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), estima que a rede hoteleira nacional terá lotação máxima durante o Réveillon 2022.

Com o crescimento do turismo e ocupação da rede hoteleira, a venda de produtos relacionados a viagens e férias para o Réveillon será uma tendência a ser explorada pelos e-commerces. Pacotes de turismo e serviços, cosméticos, produtos de higiene e cuidados com o corpo, roupas, calçados, roupas íntimas, moda praia, materiais para práticas esportivas, doces e bebidas serão amplamente consumidos, e a internet é o principal canal de consumo para a reta final de 2022 e início de 2023.

Assim como no Natal, para o fim de 2022, o e-commerce segue ratificando seu posicionamento como principal canal de compra dos brasileiros. Uma pesquisa da Criteo ressalta que o digital prevalecerá como o método favorito de compras dos brasileiros em detrimento das compras em lojas físicas. Essa postura representa uma grande mudança em relação às festas de fim de ano, época em que os sites de varejo funcionavam como catálogos online e as compras aconteciam presencialmente nas lojas.

Encerrar o ano com o bolso cheio e iniciar 2023 com pé direito

O empreendedor virtual que tiver visão, conseguir elevar o nível da exposição do seu e-commerce, utilizar com eficácia os canais de venda e trabalhar com as melhores ferramentas de gateway e checkout, terão resultados que o colocarão um passo à frente para o início de 2023.

As festas de fim de ano, com a injeção do capital projetado para a economia nacional, será um diferencial para os lojistas que estão atentos às tendências de mercado, e assim conseguem expandir seu faturamento.

Para iniciar o próximo ano com melhores resultados não basta usar roupas amarelas, dar três pulinhos nas ondas do mar, fazer simpatia ou pagar penitência. Claro que tudo isso é válido, mas com projeções tão positivas é necessário mais trabalho, planejamento e investimento nas melhores ferramentas do mercado.

A InfoPay, frente aos números que foram apresentados, prepara uma série de artigos, focados em planejamento e investimento, gerando conteúdo para que o empreendedor digital utilize melhor os ganhos obtidos neste fim de ano, para iniciar 2023 com o pé direito.

Receba mais conteúdos

Conheça o autor

Thiago Monteiro

Thiago Monteiro

Formado em Comunicação Social/Jornalismo há 14 anos, o redator da InfoPay afirma que duas coisas movem sua vida e trajetória profissional: "literalmente vivo em função de minha família e a paixão pelo Jornalismo"