Natal: é pá vê ou pá vendê?

Postado em 12/05/2022 08:15:21 - Por Thiago Monteiro

As projeções para o comércio de forma geral, e especificamente para o e-commerce são otimistas. De acordo com as estimativas da Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), para este natal 118 milhões de consumidores devem ir às compras.

As estimativas da CNDL apontam que é esperada a injeção de R$66,6 bilhões, em compras na economia deste ano, somente no período natalino.

Consumidores vão comprar pela internet

A CNDL apontou em seu levantamento que, 50% dos consumidores pretendem fazer alguma compra pela internet, representando para este ano 81,2 milhões de compradores no e-commerce.

De acordo com a pesquisa, entre os consumidores que farão compras online, 36% devem comprar quase todos os presentes na internet, 31% tem intenção de adquirir metade dos presentes, e 21% todos os presentes dessa forma, em média, sete a cada 10 presentes serão comprados por este canal.

As compras, de acordo com o levantamento acontecerão em diversos canais, deles foram destacados que 77% dos consumidores devem utilizar os aplicativos, 76% os sites e 18% o Instagram para adquirir os produtos.

A internet também será neste ano, de acordo com a CNDL, a principal fonte de pesquisa de preços de produtos. O levantamento destaca ainda que 85% dos consumidores pretendem fazer pesquisa de preços antes de comprar os presentes, destes 86% vão utilizar a internet, sobretudo os sites e aplicativos. Os principais sites e aplicativos utilizados na pesquisa serão os de lojas varejistas (77%) e os buscadores (67%).

Consolidação do e-commerce

Os dados da CNDL referente a compras e uso da internet para pesquisa durante o período natalino em 2022 consolida o e-commerce, que por sua vez, tem uma previsão de crescimento anual de 12% no comparativo ao faturamento total de 2021. É esperado um total de R$ 169,5 Bilhões em vendas ao longo deste ano.

Se tratando de período natalino, o levantamento da  NielsenIQ Ebit, apontou que somente no ano de 2021, entre os dias 10 a 24 de dezembro, as lojas virtuais no Brasil, contabilizaram R$ 4,5 bilhões em vendas, o que representou o aumento de 21% na comparação com o mesmo período de 2020.

O levantamento também apontou que foi registrado no período de 14 dias, 9,2 milhões de pedidos, no e-commerce brasileiro, o que representa uma alta de 14% em 2021, obtendo um ticket médio de R$ 489,00.

Quais os principais nichos

No ano de 2021 o período natalino teve como principais nichos no e-commerce, o segmento de moda e acessório, que por sua vez liderou a preferência dos consumidores registrando 20% das vendas.

O segundo segmento com mais compras no natal de 2021 foi o de casa e decoração com 13% das vendas, seguidos por eletrodomésticos que contabilizou 11% das compras.

No que diz respeito ao faturamento do e-commerce, os eletrodomésticos registraram no período natalino do último ano a maior alta, 46%, seguido por esporte e lazer (43%) e brinquedos (41%).

Os eletrônicos com 61%, também lideraram as altas das compras no e-commerce no período natalino de 2021 em número de pedidos, seguido pelos alimentos e bebidas com 44% e esporte e lazer, que registrou o aumento de 37%.

Pá vê ou pá vendê?

Já diz a velha máxima, “quem sabe faz a hora e não espera acontecer”, e nesse caso a hora é exatamente esse natal.

Com uma projeção superior a 80 milhões de pessoas dispostas a investir seu dinheiro em compras no período natalino, obtendo ainda a injeção de capital de pelo menos 30% dos brasileiros que, segundo a CNDL vão gastar seu 13º salário com presentes neste natal, o empreendedor pode fazer a escolha, entre ser o tiozão do pavê, ou faturar alto, por entender que natal é pá vende!

Receba mais conteúdos

Conheça o autor

Thiago Monteiro

Thiago Monteiro

Formado em Comunicação Social/Jornalismo há 14 anos, o redator da InfoPay afirma que duas coisas movem sua vida e trajetória profissional: "literalmente vivo em função de minha família e a paixão pelo Jornalismo"