Digital Bank: a evolução nos serviços bancários que todo empreendedor precisa

Postado em 11/16/2022 15:25:29 - Por Thiago Monteiro

Houve um tempo em que o comércio se baseava em uma vendinha de esquina, onde o crédito era anotado em um caderninho, e o dinheiro que o comerciante faturava ao longo dos dias era guardado dentro de casa, embaixo do colchão, ou para os mais ricos dentro de um cofre.

Atualmente vivemos em uma nova realidade. Apesar de ainda encontrarmos esse tipo de comércio, o mercado se comporta de forma diferente. Os hábitos de consumo se adaptaram as novas tecnologias e com esta evolução se fez necessário o aprimoramento das ofertas de produtos.

Sendo assim novas ferramentas levaram os empreendedores, de forma inevitável, a marcarem presença vendendo e comprando no ambiente da internet, que por sua vez, também interferiu na forma de recebimento pelos serviços prestados e produtos comercializados. Daí surgiu à funcionalidade e a necessidade do uso dos Banks e as contas virtuais.

Evolução do mercado

A mudança do perfil de consumo e demanda tem transformado o mercado e como consequência, também a oferta dos serviços bancários. De acordo com dados da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), em 2020 as transações feitas por pessoas físicas nos canais digitais chegaram a 74%. 

Os dados repassados pela Febraban também apontam que o aumento de transações bancárias realizadas por meio de dispositivos móveis, como smartphones e tablets aumentam em média 37% por ano.

A projeção da Febraban é que, em um futuro próximo, o uso dos meios digitais represente 50% de todas as transações bancárias realizadas no Brasil.

Vantagens do Bank para empreendedores

Essa evolução do mercado e mudança no perfil de consumo, fez com que o empreendedor, nos dias de hoje utilize cada vez mais os serviços bancários e deixe de circular com moeda em espécie. Os Bancos cientes dessa transformação, por sua vez, cobram taxas e mais taxas por cada serviço utilizado, e ainda, burocratizam e de certa forma limitam as transações sem proporcionar a agilidade que é demandada.

Justamente por esses problemas os bancos online, ou Banks são práticos para os empreendedores virtuais. E pensando nisso, que empresas como a IstPay, investem para oferecer aos seus clientes bem mais do que Gateway e Checkout, mas também o serviço de Bank.

De acordo com Eduardo Basques, CFO da Istpay, a empresa passou a oferecer este serviço ao perceber a necessidade dos seus clientes, que vivenciam no mercado o problema da retenção de capital.

“Nós conhecemos nosso público, o mercado que atuamos e entendemos a necessidade do capital para os nossos usuários gerirem o seu negócio, comprar mercadoria, investir em equipe, contratar serviços, etc. O Bank veio com o objetivo de facilitar esse processo e eliminar o tempo de espera do usuário para poder usar o dinheiro das vendas tendo em vista que, em qualquer outra instituição existe a retenção de capital por no mínimo 15 dias”.

Seguindo suas considerações sobre a demanda dos empreendedores, o Basques destacou que “nesse período (15 dias), o usuário não consegue usar o seu próprio dinheiro. No Bank da IstPay, não existe essa retenção! O usuário já pode usar o dinheiro das vendas no momento em que cair para pagamento de boleto, PIX, TED e TEV”.

Ainda de acordo com Eduardo, o Bank da IstPay traz outras vantagens como não existir limite de horário para realizar o pix e a segurança aplicada pela empresa nas transações.

“O Bank da IstPay não tem limite de horário de pix, é seguro devido aos sistemas de dupla autenticação, além de que é extremamente rápido no envio e recebimento de pagamentos. Isso otimiza a gestão da empresa facilitando: pagamento de fornecedor, funcionários, sistemas, rotação e muito mais. Não ficaríamos satisfeitos em entregar menos aos nossos usuários sabendo dessa objeção no mercado, e por isso que além de gateway e checkout também somos um banco. Todas as nossas soluções são pensadas para que nossos usuários faturem mais”.

Receba mais conteúdos

Conheça o autor

Thiago Monteiro

Thiago Monteiro

Formado em Comunicação Social/Jornalismo há 14 anos, o redator da InfoPay afirma que duas coisas movem sua vida e trajetória profissional: "literalmente vivo em função de minha família e a paixão pelo Jornalismo"