A importância do sistema antifraude para seu e-commerce

Postado em 12/02/2022 08:15:00 - Por Thiago Monteiro

Se você é brasileiro e anda pelas grandes cidades de nosso país, com certeza tem hábitos como segurar a bolsa em sua frente, conferir se as portas do carro foram travadas ao acionar o alarme, e evitar contar dinheiro em frente a estranhos nas agências bancárias.

Estas ações se tornaram naturais para os moradores de grandes cidades por lidarem com situações indesejadas como assaltos e golpes. No ambiente virtual a cena não é tão diferente, e pessoas de má índole tem ampliado sua expertise para cometer seus atos ilícitos.

De acordo com dados publicados na revista Exame, em todo o Brasil, somente no primeiro semestre de 2022, foram registrados cerca de três milhões de tentativas de fraude. O levantamento foi divulgado pelo Mapa da Fraude realizado pela ClearSale, que analisou os dados do e-commerce, e destacou que “o número de tentativas de fraude no país entre janeiro e junho de 2022 cresceu 9% na comparação ao mesmo período do ano de 2021”.

Sendo assim, fica evidente que você empreendedor digital necessita de ter em seu negócio ferramentas que diminuam os riscos de ataques e fraudes, para preservação do patrimônio e dados de sua loja virtual e clientes.

Antifraude pode impactar nas vendas

Com este cenário é inevitável pensar que, as empresas que prestam serviços de gateway, checkout e bank, têm investido cada vez mais em sistemas antifraude, mas isso não somente garante segurança, também pode impactar diretamente em seus resultados comerciais.

Entenda, os sistemas antifraude estão diretamente ligados aos gateways de pagamento, que por sua vez, realizam a aprovação ou não das compras feitas pela internet. É justamente ai que há o vazamento que pode secar sua empresa.

A maior parte dos gateways do mercado tem sistemas antifraude robotizados e engessados, que simplesmente confrontam dados e negam a conclusão da compra por qualquer inconsistência de informação apresentada, desta forma seus clientes simplesmente tem o pedido negado, e você apenas fica ciente de que o procedimento não foi concluso por não ter sido aprovado.

Integração do sistema antifraude humanizado

De acordo com os dados do Mapa da Fraude, um total de 39 milhões de pedidos foram analisados nos primeiros três meses deste ano no Brasil e as tentativas de fraudes representaram apenas 2% do total de pedidos no varejo digital.

Frente estas informações, observamos que a negativa de uma compra pode se dar não somente porque alguém de má índole tentou aplicar um golpe, mas também porque o gateway e sistema antifraude que é utilizado em sua loja virtual, de forma robotizada, limita estes resultados.

É justamente pela necessidade de análise e total integração entre as bandeiras de cartão, bancos e e-commerce, que a IstPay, desenvolveu o Sistema antifraude humanizado, que segundo Eduardo Basques CFO da empresa, é um diferencial no mercado.

 “Nosso antifraude é integrado com as principais bandeiras de cartão, assim temos mais agilidade na conferência dos dados, bem como assertividade na aprovação das compras. Isso ocorre por meio do nosso sistema antifraude humanizado”.

Já a Diretora de Marketing da IstPay, Ana Cardoso, destacou que a equipe técnica por trás das análises cumpre um papel importante na qualidade do serviço prestado pela IstPay.  “Temos uma equipe que analisa as compras que são barradas pelo sistema automático, e isso garante não somente maior segurança dos e-commerces e clientes, como também aumenta a taxa de aprovação de pedidos nas lojas virtuais”.

Por fim Eduardo, de forma bem humorada salientou que há outros segredos no serviço prestado pela IstPay. “A forma como fazemos esse trabalho é o segredo de nosso sucesso, guardamos esses detalhes para nossos clientes, já que a IstPay tem o sistema antifraude humanizado e outros fatores que nos diferenciam no mercado”. Finalizou Basques.

Receba mais conteúdos

Conheça o autor

Thiago Monteiro

Thiago Monteiro

Formado em Comunicação Social/Jornalismo há 14 anos, o redator da InfoPay afirma que duas coisas movem sua vida e trajetória profissional: "literalmente vivo em função de minha família e a paixão pelo Jornalismo"