Natal: Qual o nicho mais fatura nesta época!

Postado em 12/16/2022 09:41:58 - Por Thiago Monteiro

Como já visto em outros artigos aqui do InfoPay, o período natalino para o empreendedor digital que quer realmente faturar tem tudo para superar as expectativas e encerrar 2022 com chave de ouro.

As projeções são ainda mais positivas quando observamos o cenário do e-commerce de forma macro em 2022. De acordo com levantamento feito pela  Neotrust, o e-commerce registrou o crescimento de 27% no Brasil no último ano, obtendo um faturamento recorde de R$161 bilhões. Para o ano de 2022 a previsão é de 9% de aumento.

O aumento dos hábitos de consumo pela internet, como também a projeção da Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas, com aproximadamente 80 milhões de consumidores realizando suas compras em e-commerces neste ano, enchem os lojistas de otimismo quanto às vendas de Natal.

É importante, no entanto, os empreendedores ficarem atentos às principais tendências de consumo para o Natal deste ano, para que assim, a oferta de produtos e serviços, possa preencher a lacuna de desejo dos milhões de consumidores que estão dispostos a realizar suas compras pela internet.

Enfeites natalinos

Não há festa natalina sem os tradicionais enfeites e produtos ornamentais que embelezam as celebrações familiares. Estas mercadorias que nunca deixam de ser adquiridas e assim como nos demais anos, enfeites com as cores vermelho, dourada e verde não podem faltar.

Ainda relacionado aos enfeites, as tradicionais luzes para as árvores de natal e enfeites de fachada de residências também são amplamente comercializadas pela internet. É importante também ficar atento aos materiais de decoração feitos de forma artesanal e com materiais reciclados.

Produtos mais consumidos:

Comida

Se o assunto são as festas natalinas, é claro que os alimentos encabeçam a lista de produtos mais consumidos no período. Alimentos perecíveis como Peru, Frango e Frios são muito procurados, mas para você que tem uma loja virtual, também é possível faturar com a venda de alimentos como panetones, chocolates, cookies, queijos e bebidas, preferencialmente vinhos.

É claro que para muitos a comida não estaria no foco deste artigo, já que tratamos em suma sobre temas relacionados ao e-commerce, e justamente por isso abordamos o tema, já que atualmente realizar comprar por aplicativos tem agradado aos consumidores, principalmente os de classe média.

Conforme pesquisa realizada pela Bain & Company , de 2 mil pessoas entrevistadas no Brasil, 76% afirmaram que agora fazem compras de supermercado on-line. O levantamento mostrou que 54% dos consumidores fizeram sua primeira compra de alimentos e produtos para o lar de forma totalmente digital durante o período da pandemia.

A pesquisa também mostrou que o hábito de fazer as compras de supermercado pela internet registrou maior crescimento entre a classe média, com renda entre 3 e 10 salários mínimos.

Bebidas

Já que falamos de bebidas, além dos vinhos, destilados normalmente são vistos como boas opções de presentes durante o período natalino. Os vinhos seguem como preferência, mas Uísque, espumantes e também cervejas artesanais são sempre opções escolhidas por quem quer presentear, ou simplesmente consumir uma boa bebida durante as comemorações natalinas.

Eletrônicos

Além da comida, os presentes são marca das comemorações natalinas e os aparelhos eletrônicos como celulares, tablets, ferramentas e acessórios como fones de ouvido, câmeras e outros produtos relacionados à tecnologia são opções de presentes com amplo consumo.

Cabe destacar que uma pesquisa feita pelo Mercado Livre, relacionados aos hábitos de consumo no período natalino desde os anos 2000 os produtos eletrônicos mais vendidos são os seguintes:

  • Smartphones
  • Video Games
  • Notebooks e computadores
  • Smartwatch
  • Acessórios eletrônicos
  • Cartões presente da Play Store, Playstation, Xbox e App Store.

Brinquedos

O natal é um período onde a criançada literalmente faz a festa. É claro que os pequenos não têm como preferência ganhar roupas como presente. A criança quer brinquedo e justamente por isso, que os brinquedos são alguns dos produtos mais comercializados durante o período natalino.

Lojas relacionadas a brinquedos tem um crescimento no fluxo de clientes durante o período natalino. É importante que o lojista tenha consciência que o período não fatura como o dia das crianças, mas as tendências e brinquedos da moda devem sempre ser protagonistas em ofertas e promoções amplamente divulgadas nas campanhas de marketing.

Cosméticos, perfumes e roupas

Para os adultos, opções de presentes que não se enquadram nos eletrônicos, normalmente ficam concentradas em roupas, perfumes e produtos de beleza.

Os e-commerces que atendem prioritariamente o público adulto e ofertam estes produtos, normalmente tem crescimento de faturamento e vendas durante o natal.

É importante que os empreendedores, no entanto, estejam antenados às tendências da moda, para que suas mercadorias não sejam vistas como ultrapassadas e o período que deveria ser de aumento de vendas, não traga o indesejado presente do prejuízo.

Sem Afobação

O lojista neste ano deve ficar atento ao fato de que as projeções de consumo, até mesmo pelo aproveitamento da Black Friday para adquirir produtos, e a realização da Copa do Mundo, que se estende até a terceira semana de dezembro, são fatores que potencialmente irão alterar o perfil de consumo para as festas de fim de ano.

De tal maneira o empreendedor digital, deve ficar atento ao fato de que as projeções são de um aumento de compras realizadas de última hora em 2022. De acordo com os executivos da BestBuy, as compras de natal em 2022 devem acontecer de última hora no varejo americano, e a projeção é que tal postura também seja presenciada em países onde o e-commerce está em plena expansão.

Os executivos acreditam que esse cenário ocorrerá pelo fato dos consumidores buscarem por melhores ofertas de produtos, que devem ser ratificadas pelo desejo do lojista em liquidar os seus estoques.

Receba mais conteúdos

Conheça o autor

Thiago Monteiro

Thiago Monteiro

Formado em Comunicação Social/Jornalismo há 14 anos, o redator da InfoPay afirma que duas coisas movem sua vida e trajetória profissional: "literalmente vivo em função de minha família e a paixão pelo Jornalismo"